FutebolGlobal

Sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019

COPA 2014: ELIMINATÓRIAS

As eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, contaram com exatas 820 partidas oficiais de futebol. Elas consistiram em uma série de torneios regionais organizados pelas 6 confederações afiliadas à FIFA, para definir as 31 vagas disponíveis para a máxima competição de futebol global, com o país anfitrião tendo vaga garantida. As disputas iniciaram-se em 2011 e foram até o final de 2013. Cada região teve sistema específico de classificação, com critérios estabelecidos por cada confederação.


No total, 203 seleções nacionais filiadas às 6 confederações que compõem a FIFA, estavam então habilitadas para disputar as eliminatórias, desde que cumprissem todos os requisitos estabelecidos nos estatutos da entidade. Após maratona de jogos, as 32 vagas foram assim distribuídas: Europa (UEFA): 13 vagas; África (CAF): 5 vagas; América do Sul (CONMEBOL): 6 vagas (incluindo Brasil, como país sede); Ásia (AFC): 4 vagas; América do Norte, Central e Caribe (CONCACAF): 4 vagas.

ELIMINATÓRIAS SUL-AMERICANAS

Com o Brasil já classificado como o país anfitrião, as outras 9 equipes do continente sul americano disputaram um torneio em turno e returno entre outubro de 2011 e outubro de 2013, com 4,5 vagas em jogo. Os 4 primeiros se classificaram diretamente para o Mundial 2014, nesta ordem: Argentina, Colômbia, Chile e Equador. O time do Uruguai quinto colocado, disputou o play-off intercontinental representando América do Sul contra vencedor da quinta fase das Eliminatórias da Ásia (Jordânia).
 
A duas rodadas do final das eliminatórias da América do Sul, a Argentina já confirmou presença na Copa do Mundo da FIFA 2014. E o fez com autoridade ao golear o Paraguai em Assunção por 5 a 2, uma parada que nunca é fácil. Assim, cumpriu com os prognósticos de que, diante da ausência do Brasil nas eliminatórias, a colocavam como a maior favorita a superar o torneio classificatório. A Alviceleste, liderada pelo capitão Lionel Messi, cumpriu objetivo de disputar o Mundial pela 16a vez.
 
Com uma rodada de antecedência, a seleção colombiana dirigida pelo argentino José Pekerman, reservou a sua vaga na Copa do Mundo. Ela estava perto da classificação desde setembro, mas a derrota no Uruguai adiou a festa. Mas regressar ao Mundial, depois de 16 anos, valia uma partida especial: o Chile vencia por 3 a 0; em 15 minutos, Teófilo Gutiérrez e Radamel Falcao igualaram o marcador e conquistaram o ponto necessário, para que a Colômbia inteira explodisse de felicidade.
 
Já para o Uruguai não bastou a vitória sobre a Argentina por 3 a 2: embora tenha igualado número de pontos do Equador, o seu saldo de gols era pior e ficou na 5a colocação. Assim, teve de passar pelo drama da repescagem intercontinental pela 4a vez consecutiva e a sua adversária em 2 jogos, de ida e volta em novembro 2013, foi a Jordânia. Mas o resultado do play-off, era o mais previsível possível, afinal eram bicampeões mundiais em campo: no 1o confronto golearam: vaga confirmada.

Na 18a e última rodada, o Chile derrotou o Equador por 2 a 1 e se classificou para sua 9a Copa do Mundo. Apesar da derrota, os equatorianos ficaram com a quarta e última vaga automática, indo e pela 3a vez ao maior torneio mundial (após 2002 e 2006). A classificação final das Eliminatórias da América do Sul, foi a seguinte: Argentina 32 pontos, Colômbia 30, Chile 28, Equador 25 e Uruguai 25, Venezuela 20, Peru 15, Bolívia 12 e Paraguai 12. O Brasil, por ser sede da Copa, não participou.

ELIMINATÓRIAS AFRICANAS

Os 52 países disputaram 5 vagas na Copa 2014. Iniciadas em 2011, a fase 1 teve 24 seleções, em 12 confrontos ida/volta. Venceram: Lesoto, Guiné Equatorial, Congo, Ruanda, Quênia, Chade, RD Congo, Togo, Libéria, Moçambique, Etiópia e Namíbia.  Despediram-se: Burundi, Madagascar, São Tomé e Principe, Eritréia, Seychelles, Tanzânia, Suazilândia, Guiné Bissau, Mauricius, Comores, Somália e Djibuti. Eliminatórias tiveram fase 2 até 2013, com vencedores de 10 grupos avançando.

Grupo A: Etiópia 13 pts, África do Sul 11, Botsuana 7, R.C.Africana 3; B: Tunísia 14, Cabo Verde 9, S.Leoa 8, G.Equatorial 2; C: C.Marfim 14, Marrocos 9, Tanzânia 6, Gâmbia 4; D: Gana 15, Zâmbia 11, Lesoto 5, Sudão 2; E: B.Fasso 12, Congo 11, Gabão 7, Níger 4; F: Nigéria 12, Malaui 7, Quênia 6 e Namíbia 5; G: Egito 18, Guiné 10, Moçambique 3 e Zimbabwe 2; H: Argélia 15, Mali 8, Benin 8, Ruanda 2; I: Camarões 13, Líbia 9, Congo 6, Togo 4; J: Senegal 12, Uganda 8, Angola 7, Libéria 4.
 
Ao fim desta fase, as 10 seleções melhores colocadas em seus grupos, avançaram portanto para a fase decisiva, onde foram divididas em 5 chaves de 2, com os confrontos mata-mata definindo os 5 já classificados do continente africano para a Copa do Mundo de 2014: Etiópia, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gana, Burkina Faso, Nigéria, Egito, Argélia, Senegal e Camarões na disputa. Essas 10 remanescentes no continente, estavam a 2 partidas de participar do maior torneio do futebol global.

O Egito foi sorteado para encarar Gana, enquanto que a Tunísia jogaria com Camarões e a Argélia mediria forças com Burkina Fasso, a finalista da Copa Africana de Nações 2013. Já a atual campeã continental Nigéria que veio ao Brasil 2013 enfrentava a Etiópia, a surpresa da competição. Por fim Costa do Marfim e Senegal decidiriam o último representante do continente no Mundial. Ao final do sorteio pediu-se às 10 equipes finalistas atuar com espírito esportivo e respeito à princípios éticos.
 
A primeira a se garantir foi a campeã africana Nigéria que venceu a Etiópia pela 2a vez, enquanto a Costa do Marfim também se classificou com um empate no Senegal. Depois Camarões se juntou à festa ao derrotar a Tunísia. Gana e Argélia garantiram as 2 últimas vagas africanas para a Copa de 2014, ao eliminarem respectivamente Egito e Burkina Fasso. Os 5 países então classificados para jogar aqui, são exatamente os mesmos que representaram o continente negro na África do Sul 2010.

ELIMINATÓRIAS ASIÁTICAS

Na fase 1 confrontos diretos e 8 venceram: Laos, Nepal, Palestina, Filipinas, Bangladesh, Mianmar, Vietnã, Malásia (Camboja, T.Leste, Afeganistão, Sri Lanka, Paquistão, Mongólia, Macau e Taipei já fora). Na 2: China, Líbano, Tailândia, Indonésia, Iraque, Jordânia, Tadjiquistão, Uzbequistão, Catar, Kuwait, Irã, Cingapura, Omã, EAU, A.Saudita dentro (Laos, Bangladesh, Palestina, Turcomenistão, Iêmen, Nepal, Síria, Quirgistão, Vietnã, Filipinas, Maldivas, Malásia, Mianmar, India e H.Kong fora).

Pela fase 3 eram 20 seleções ainda na disputa, em 5 grupos e com os 2 primeiros se classificando. Grupo A: Iraque 15 pontos, Jordânia 12, China 9, Cingapura 0; No B: Coréia do Sul 13, Líbano 10, Kuwait 8 e EAU 3; C: Uzbequistão 16, Japão 10, Coréia do Norte 7, Tadjiquistão 1; D: Austrália 15, Omã 8, Arábia Saudita 6, Tailândia 4; grupo E: Irã 12, Catar 10, Bahrein 9, Indonésia 0. Restavam 10 times lutando por 4 vagas diretas, agora em 2 grupos de 5 cada: os campeões e vices na Copa.

Assim, a decisiva fase 4 teve esta classificação: Grupo A: Irã 16, Coréia do Sul 14, Uzbequistão 14, Catar 7, Líbano 5 pontos; Grupo B: Japão 17, Austrália 13, Jordânia 10, Omã 9, Iraque 5. Foi time do Japão o 1o a garantir vaga em campo no Mundial
2014, após empate em 1 a 1 com a Austrália. Jogando em frente a 60 mil torcedores, o selecionado do técnico Alberto Zaccheroni começou com tudo e a torcida finalmente comemorou a classificação, pela 5a vez seguida à uma Copa do Mundo.
 
Na rodada seguinte, a seleção da Austrália também classificada para a Copa 2014: os “socceroos” venceram o Iraque por 1 a 0 e é a 3a vez seguida que disputa mundiais, após 2006 quando chegou às oitavas e 2010 onde parou na 1a fase. Na outra
chave, emoção e incerteza até o final. A seleção do Irã garantiu o 1o lugar ao vencer por 1 a 0 na Coréia do Sul: 4a presença do país dos aiatolás, 1a desde 2006. Os sul-coreanos perderam no fim, mas celebraram a sua 8a vez seguida em Mundiais.
 
Assim, os uzbeques com mesmos pontos mas menor saldo, disputaram repescagem continental. O 3o posto do Grupo B foi da Jordânia ao vencer Omã por 1 a 0 se qualificando para disputar contra o Uzbequistão, o 3o do Grupo A. Quem saiu vencedor do play-off foram jordanianos após disputas da prorrogação e penâltis: tinha que enfrentar em 2 jogos, o 5o das eliminatórias sul-americanas, a fim de garantir a vaga. Mas o adversário era o bicampeão mundial Uruguai que liquidou logo a disputa.

ELIMINATÓRIAS AMÉRICAS E CARIBE

Há 3,5 vagas em disputa para as 35 equipes da região. O hexagonal final jogou-se garantindo 3 de forma direta vaga na Copa: Estados Unidos, Costa Rica e Honduras. O play-off intercontinental foi entre o 4o colocado (México) e a Nova Zelândia (Oceania). Pela fase 1 foram 5 confrontos diretos e vencedores seguiam (Belize, Bahamas, Rep.Dominicana, Santa Lúcia e Ilhas Virgens Americanas); saindo fora os perdedores (Montserrat, Turcas e Caícos, Anguilla, Aruba, Ilhas Virgens Britânicas).

Pela fase 2 eram 6 grupos de 4 países: grupo A (El Salvador 18 pontos, R.Dominicana 8, Suriname 7 e Ilhas Cayman 1); grupo B (Guiana 13, Trinidad e Tobago 12, Bermuda 10 e Barbados 0); grupo C (Panamá 12, Nicarágua 6, Dominica 0); grupo D (Canadá 14, Porto Rico 9, S. Cristovão e Névis 7, S. Lúcia 1); grupo E (Guatemala 18, Belize 7, São Vicente e Granadinas 5, Granada 4); grupo F (Antígua e Barbuda 15, Haiti 13, Curaçao 7, Ilhas Virgens Americanas 0). Os campeões, seguiram.
 
A 1a fase de grupos das eliminatórias da zona da CONCACAF, contou com 23 seleções: 6 países de menor tradição e as potências da região venceram em campo, se desgarrarando do bloco para se juntarem aos EUA, México, Honduras, Jamaica, Costa Rica e Cuba. Essa Fase 3 pelo grupo A: Estados Unidos 13 pontos, Jamaica 10, Guatemala 10, Antígua e Barbuda 1; grupo B: México 18, Costa Rica 10, El Salvador 5, Guiana 1; e grupo C: Honduras 11, Panamá 11, Canadá 10, Cuba 1.

Americanos e costa-riquenhos foram as primeiras seleções a se classificar para a Copa do Mundo 2014, na 8a de 10 rodadas do hexagonal final. Estados Unidos chegarem pela 7a vez consecutiva à Copa, derrotando México em casa pela 4a vez seguida em eliminatórias, pelo mesmo placar de 2 a 0. Os Ticos impuseram a 8a derrota consecutiva dos americanos em território costa-riquenho, Pela última rodada, Honduras garantiu vaga com empate em 2 a 2 contra a Jamaica dos Reggae Boyz.
 
Os 2 primeiros colocados de 3 grupos da 3a Fase se encontram no Hexagonal Final. As 6 seleções se enfrentam em casa e fora, com os 3 melhores garantindo classificação direta à Copa do Mundo 2014. Quem terminou no 4o lugar (México) teve o direito de disputar a repescagem intercontinental em jogos de ida e volta para ser o 4o da CONCACAF. O Hexagonal foi duro, com esta classificação final: Estados Unidos 22 pontos, Costa Rica 18, Honduras 15, México 11, Panamá 8 e Jamaica 5.

ELIMINATÓRIAS OCEÂNICAS

A fase 1 teve apenas único grupo com 4 seleções: Samoa 7 pontos, Tonga 4, Samoa Americana 4 e Ilhas Cook 1. Pela fase 2, foram 2 grupos com 4 equipes cada: grupo A com Taiti 9 pontos, Nova Caledônia 6, Vanuatu 3 e Samoa 0; e grupo B com Nova Zelândia 7, Ilhas Salomão 5, Fiji 2, Papua Nova Guiné 1. Seguiram para o Quadrangular final os 2 primeiros de cada chave: esta fase 3 teve seguinte classificação final: Nova Zelândia 18 pontos, Nova Caledônia 12, Taiti 3, Ilhas Salomão 3.

Já classificada para a repescagem, por uma vaga na Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, a Nova Zelândia confirmou a posição de melhor time das eliminatórias da Oceania e encerrou a disputa da fase final com 100% de aproveitamento. No último jogo, no Lawson Tama Stadium, a vítima foram as Ilhas Salomão, que mesmo atuando em casa, na cidade de Honiara, sucumbiu por 2 a 0, com 2 gols para seleção comandada por Ricki Herbert, feitos pelo jovem atacante de 19 anos Tim Payne.
 
Com este resultado, a Nova Zelândia encerrou sua campanha na fase final das eliminatórias com o almejado 100% (18 pontos), tendo conquistado 6 triunfos nos 6 jogos que disputou. Isso se tornou rotina desde que Austrália passou a disputar
eliminatórias asiáticas. As Ilhas Salomão, fecharam a disputa do torneio continental na última posição do quadrangular (3 pontos). Apesar da campanha realizada na Oceania, neozelandeses não tinham vaga garantida na Copa do Mundo Brasil 2014.
 
Após conseguir sua primeira vitória nas eliminatórias ao derrotar as Ilhas Salomão, o Taiti voltou a sofrer um revés na competição. Desta vez, a derrota foi para a Nova Caledônia, que triunfou por 1 a 0 no Stade Numa Daly, com gol de Lolohéa. O resultado deu sequência ao bom desempenho da Nova Caledônia, que venceu todos seus jogos, menos diante da Nova Zelândia: encerra a disputa na segunda posição, com 12 pontos. A seleção do Taiti, que veio ao Brasil 2013, ficou em terceiro.
 
A liderança do quadrangular final colocou a seleção da NZ comandada por Herbert na repescagem para 2014, onde mediu forças com o 4o colocado da Eliminatória CONCACAF. Caso confirmasse a vaga, Nova Zelândia disputaria pela 1a vez em sua história 2 edições consecutivas da Copa. Antes participou em 1982 na Espanha e 2010 na África do Sul, sendo eliminada na fase dos grupos nas 2 ocasiões. Mas seu adversário no confronto intercontinental foi México, que lhe aplicou 2 goleadas.

ELIMINATÓRIAS EUROPÉIAS

 
Todas as 53 associações-membros, participaram das Eliminatórias Europa, para a Copa do Mundo  de 2014. O torneio é dividido em 9 grupos, com 13 equipes no final classificadas para a Copa. Os 9 times vencedores de cada grupo garantem vaga direta. Os 8 melhores segundos colocados, então passam para disputar a fase de repescagem: as equipes sorteadas para 4 confrontos eliminatórios em jogos de ida e volta. Os 4 vencedores, se somam aos 9 classificados e estão no Mundial 2014.

Itália (Grupo B) e Holanda (Grupo D) foram os primeiros países europeus a se classificarem para a Copa 2014. Os italianos garantiram participação no seu 18º Mundial. Os holandeses não brilharam, mas garantiram facilmente presença na Copa. A Alemanha como sempre foi superior no seu grupo e a então campeã Espanha não vacilou. A Rússia foi firme e a Inglaterra se garantiu no final. Boas surpresas foram seleções da Bélgica e Suíça, além da maior de todas que foi Bósnia Herzegovina.

No Grupo A os belgas com boa campanha se classificaram direto e a Croácia foi ao playoff, tendo a classificação final: Bélgica 26 pontos, Croácia 17, Sérrvia 14, Escócia 11, Gales 10 e Macedônia 7. O grupo B teve italianos na frente e dinamarqueses 2º os únicos vices fora da repescagem: Itália 22, Dinamarca 16, R.Tcheca 15, Bulgária 13, Armênia 13 e Malta 3. No grupo C, alemães em 1º e suecos na repescagem: Alemanha 28, Suécia 20, Áustria 17, Irlanda 14, Cazaquistão 5, I.Faroe 1.

Pelo Grupo D holandeses na ponta e romenos em 2º: Holanda 28 pontos, Romênia 19, Hungria 17, Turquia 16, Estônia 7, Andorra 0. No grupo E suíços 1º e islandeses no playoff: Suiça 24, Islândia 17, Eslovênia 15, Noruega 12, Albânia 11, Chipre 5. Pelo grupo F russos 1º e portugueses: Rússia 22, Portugal 21, Israel 14, Azerbaijão 9, Irlanda do Norte 7, Luxemburgo 6. Grupo G, empate entre os bósnios e gregos: Bósnia 25, Grécia 25, Eslováquia 13, Lituânia 11, Letônia 8 e Liechtenstein 2.

Pelo grupo H ingleses na ponta e seguidos por ucranianos: Inglaterra 22, Ucrânia 21, Montenegro 15, Polônia 13, Moldávia 11 e San Marino 0. Por fim no grupo I, espanhóis no Mundial e franceses na repescagem: Espanha 20, França 17, Finlândia 9, Geórgia 5 e Bielorrússia 4. A fase de grupos já virou história e o destino dos 53 países participantes não pode mais ser alterado. Foi maratona com 260 partidas, disputadas desde 7 de setembro 2012: definidas as 9 vagas diretas e 8 playoffs.

 

REPESCAGEM EUROPA REPESCAGEM EUROPA

França e Ucrânia (0x2/3x0)

Ucrânia, marcou 2 a 0 em Kiev, no jogo de ida do playoff contra a França. O brasileiro naturalizado ucraniano Edmar tocou para Roman Zozulia, que finalizou no cantinho. Depois, aos 82 minutos, foi Andriy Yarmolenko que converteu um pênalti. Criticados e pressionados, no jogo de volta em Paris, os Bleus conseguiram grande virada. Com postura diferente e agressiva sufocando seu adversário, venceu por 3 a 0 e deixou o Stade de France em polvorosa, para assegurar vaga heróica na Copa.


Grécia e Romênia (3x1/1x1)
Grécia bateu Romênia por 3 a 1, em Piraeus, no jogo de ida da repescagem: Konstatinos Mitroglou marcou aos 14; Bogdan Stancu empatou aos 19; Dimitrios Salpingidis fez 2 a 1 para os helênicos e na etapa final, Mitroglou voltou a anotar de cabeça. Em Bucareste os gregos confirmaram sua vaga ao segurar empate por 1 a 1 com os romenos fora de casa. É a 3ª participação da seleção helênica no Mundial e já 2ª consecutiva, depois de participar nos Estados Unidos 1994 e África do Sul 2010.


Croácia e Islândia (0x0/2x0)
Islândia e Croácia empataram sem gols, na partida de ida do playoff. A seleção nórdica começou o jogo animada e atacando. Aos poucos porém o adversário balcânico mais experiente, já equilibrou, mas o goleiro Halldórsson segurou 0 a 0. No jogo de volta em casa, os croatas fizeram 2 a 0: antes de ser expulso, o artilheiro Mario Mandzukic deixou a sua marca aos 27 minutos. Mesmo tendo um a menos, a Croácia ampliou no início do 2º tempo, com o veterano Darijo Srna. A vaga confirmada.


Portugal e Suécia (1x0/3x2)
Portugal iniciou bem rumo à Copa do Mundo 2014, vencendo a Suécia, por 1 a 0, no jogo de ida do playoff europeu (Lisboa) com o gol de cabeça de Cristiano Ronaldo aos 83 minutos: Miguel Veloso cruzou da esquerda e ele antecipou-se mergulhando para o gol. Após vencer na Suécia, por 3 a 2, na volta em Estocolmo, portugueses carimbaram passaporte ao Brasil: o capitão Ronaldo, foi mais uma vez o grande herói, ao marcar os 3 gols e se tornar maior artilheiro da história de sua seleção.

REPESCAGEM MUNDIAL

Uruguai x Jordânia (5x0 e 0x0)


Na partida de ida do play-off intercontinental, contra a Jordânia, fora de casa, a experiência com a maior qualidade da equipe de Óscar Tabárez fizeram a diferença, com uma goleada por 5 a 0. Foi definida a situação da série e antes mesmo do jogo da volta. A superioridade dos atuais campeões sul-americanos ficou evidente desde o início. Maxi Pereira e Cristian Stuani marcaram no 1º tempo; enquanto que Nicolas Lodeiro, Cristian Rodríguez e Edinson Cavani, completaram no 2º a goleada.


O jogo em casa era mera formalidade e Celeste na prática, já estava no Mundial. Dentro de campo no Centenário de Montevideo, as 2 seleções ficaram no empate sem gols e não estiveram em seus melhores dias. Foi o Uruguai que desperdiçou chances. Apesar de não ser resultado expressivo, o 0 a 0 foi comemorado pelo povo uruguaio cuja equipe precisou enfrentar a repescagem pela 4ª vez consecutiva, mas isso não evitou que se garantisse no Brasil 2014, que é sua 12ª Copa na história.

 

México e Nova Zelândia (5x1 e 4x2)


O México ignorou o sistema defensivo da Nova Zelândia, venceu por 5 a 1 no Azteca em jogo pela repescagem intercontinental e deixou quase certa sua vaga para 2014. Paul Aguillar abriu o placar aos 32 minutos. A pressão era total por parte dos comandados de Miguel Herrera. O atacante Raúl Jiménez ampliou antes do intervalo. O jovem Oribe Peralta anotou o terceiro. No final da partida de ida, usando o jogo aéreo, Peralta voltou a marcar, seguido pelo veterano zagueiro Rafael Márquez.


Na partida de volta, a equipe mexicana não quis saber de segurar o ritmo e para espantar de vez a crise que rondou o gigante azteca durante as eliminatórias, mostrou força novamente, goleando os neozelandeses mais uma vez, agora por 4 a 2, em partida disputada em Wellington, quando Oribe Peralta, atacante do Santos Laguna, marcou logo 3 gols (Carlos Peãn o 4º). Fechou assim a série com autoridade e placar agregado de 9 a 3, sacramentando 15ª participação do país em Mundiais.